sábado, 20 de dezembro de 2014

Apresentação e Degustação
Vinhos BEYRA e QUINTA do CÔA
Esta 6ªfeira e Sábado, dias 19 e 20 de Dezembro, teremos na MIOSOTIS a apresentação dos vinhos BEYRA, um tinto e um branco, ambos DOC Beira Interior. produzidos pelo Rui Reboredo Madeira.
O tinto é do ano de 2012, da casta Jaen e recebeu medalha de ouro no concurso de vinho da Beira Interior de 2014.
O branco é do ano 2013 com as castas Siria e Fonte Cal.
Estarão também em degustação os vinhos Quinta do Coa do mesmo produtor: o tinto 2008 e o branco 2010, ambos Douro DOC.

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Notícias da MIOSOTIS

Muitas novidades a destacar neste fim-de-semana na MIOSOTIS. Tudo produções nacionais e enquadradas na época do ano em que estamos com as festas do Natal e do Ano Novo a aproximarem-se.

PÃES DE NATAL: 2 estreias da MIOLO

- pão de tomate seco, manjericão e amor
- pão de frutos secos e prosperidade

BOLO REI DE CHOCOLATE E AMENDOA: novidade da Natursol
AZEVIAS: de grão-de-bico, farinha de espelta e fritas em óleo de côco, também da Natursol

REBUÇADOS DE PORTALEGRE: uma estreia em BIO, produzidos pelo Casal dos Planetas

SALADA AROMÁTICA da Vitacress: uma mistura de alfaces frisadas verdes e rôxas com coentros

GALO: na sequência dum pedido da MIOSOTIS, a Quinta da Azóia entrega galos esta semana.

SABONETES BIO E ARTESANAIS
: 2 novos da "Tradição do Sabão", mel e mel com aveia

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

QUINTA DAS LAVANDAS: Apresentação e degustaçãoNos dias 28 e 29 de Novembro.
A Quinta das Lavandas (Castelo de Vide) é um projecto familiar, que tem no centro uma plantação de lavandas (angustifolia e intermedia), com cerca de 6 ha, cultivados em modo de podução biológico e que se dedica igualmente à transformação das plantas, em fresco, em óleos essencais e águas florais (possui destilaria própria, com um alambique em aço AISI 316) e em diversos produtos derivados, desde os bouquets de casamento ao artesanato de lavandas (rocas, sacos de cheiro, almofadas térmicas, etc.), ou , com as plantas já secas, produtos alimentares, como a linha infusões à base de lavanda (isolada ou em combinação com outras ervas aromáticas), mel, biscoitos de lavanda.
A Quinta das Lavandas, possui uma unidade de turismo em espaço rural. Vive-se a cultura da Lavanda, nas suas mais diversas possibilidades e aos hóspedes é proporcionado um contacto com esta realidade agro-rural.
http://www.quintadaslavandas.pt

https://www.facebook.com/pages/Quinta-das-Lavandas/350234731714085



terça-feira, 25 de novembro de 2014

Tomatadas... alentejanas!

Novos Produtos na MIOSOTIS
A Ana Carla Gouveia (Ferreira do Alentejo) apresenta duas criações suas, a tomatada e o concentrado de tomate:
"Há vários anos que faço estes dois produtos para consumo cá em casa, e depois na casa de todos os que me visitavam, pois levavam sempre alguns frascos. Toda a gente dizia que era muito boa. E começei a pensar fazer de um modo menos caseiro e para vender.
Assim fizemos uma seara de tomate de 0,2 ha, que produziu mais de 3 ton de tomate. Aluguamos a cozinha da Casa do Povo, falei com algumas senhoras aqui de Ferreira e nos meses de Setembro e Outubro estivemos a fazer tomatada 3 ou 4 tardes por semana.
Depois foi a etiquetagem e agora estamos aqui.
Cada frasco de tomatada tem meio kilo de tomate (em cru) num refogado ligeiro, está pronto a cozinhar, basta pôr na panela com um conduto em cru ( peixe, carne, vegetais, legumes de conserva, pode adicionar água) e cozinhar até estar ao gosto. Ou por em cima duma massa. Ou escalfar um ovo (é deliciosos, e muitas vezes é o meu jantar!)...
Cada frasco de concentrado de tomate tem mais de meio kilo de tomate, cozinhado durante 5 horas. É apenas tomate e azeite e manjericão."

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Notícias da MIOSOTIS

Pão da SalsAlecrim
No sábado o Vitor da SalsAlecrim vai estar na MIOSÓTIS  a apresentar a sua actividade de produção de pão biológico. Poderá degustar os diversos pães: de trigo, de centeio, de espelta e ... de KAMUT. Se ainda não conhece este pão, aproveite para o provar: é delicioso. A padaria da SalsAlecrim é em Palmela junto aos moinhos da Serra do Louro, num local com uma vista fabulosa. Além de que cozem o pão num forno de lenha magnífico com cerca de 3 metros de diâmetro.
BioVivos
O João, produtor dos BioVivos, volta à MIOSÓTIS, desta vez a um sábado, para apresentar a sua actividade e as extraordinárias propriedades dos seus produtos.
www.biovivos.pt
www.facebook.com/biovivos
www.facebook.com/urbangrowportugal

Frutas da época em destaque
KIWIS, ROMÃS e DIOSPIROS
- chegaram os primeiros kiwis da nova colheita, já bem docinhos; provenientes do Minho
- as româs alentejanas estão muito boas
- os diospiros continuam em força, vindos das Caldas da rainha

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Notícias da MIOSOTIS

Lançamento de novos produtos nacionais
TISANAS DA HERDADE DO GAMOAL
Dias 14 e 15 de Novembro serão apresentadas as novas tisanas da Herdade do Gamoal (Montargil). Misturas de plantas cuidadosamente elaboradas para darem origem a bebidas deliciosas: "Lazy Sunday", "Christmas Night", "Zen", etc. Em degustação, pela produtora.

Frutas e frutos secos
- Continua a época dos diospiros. São uma sobremesa inigualável!
- As castanhas provenientes de Carrazeda de Montenegro (Valpaços) por muitos considerada a Capital da Castanha. Variedade judia, uma DOP (Denominação de Origem Protegida).
- As avelãs e as nozes (das Beiras) e a amendoa (Trás-os-Montes) estão com excelente qualidade.
- Curiosidades: a feijoa, a goiaba, a pera melão são frutas a descobrir e apreciar nesta época.
Legumes
- os legumes-folha estão em força: couves diversas, nabiças, acelgas, espinafres, etc.
- legumes raiz a descobrir: já experimentou a bardana, a rutabaga, a raiz de salsa, a pastibaga ou o daikon?
A MIOSOTIS divulga:
- EthicBusiness, uma empresa portuguesa para "dar vida a projectos sustentáveis" - http://www.ethicbusiness.pt/
- um gesto simpático vindo da Madeira: https://www.facebook.com/permalink.php?story_fbid=611697945607569&id=221062128004488


quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Talho: estreia de carne de novilho barrosão
O Filipe Antunes (que conhecemos desde há cerca de 20 anos) tem uma criação de vitelas barrosãs perto de Celorico de Basto, com uma filosofia de produção muitíssimo interessante. Depois de ultrapassar todas as formalidades necessárias (incluindo a certificação do matadouro para o abate e desmancha) enviou-nos uma carne excepcional. Aqui fica uma apresentação e algumas dicas culinárias

CARNE DE NOVILHO DE RAÇA BARROSÃ – APRESENTAÇÃO DE UMA FILOSOFIA DE PRODUÇÃO
Os animais são de uma raça tradicional portuguesa: a raça barrosã.
São alimentados exclusivamente com forragens da própria exploração sem qualquer utilização de cereais.
Os tratamentos aplicados são predominantemente homeopáticos.
Os animais estão permanentemente em pastoreio, contribuindo para a gestão de uma área florestal de carvalhal e souto, mantendo a floresta mais limpa e ajudando dessa forma a controlar os riscos de fogo.
Através da adequada gestão do pastoreio a necessidade de desparasitação é muito reduzida, sendo monitorizados os níveis dos parasitas através da análises das fezes.


CARNE DE VITELA BIOLÓGICA
Como tirar partido e cozinhar:
A nossa carne é um pouco diferente da maior parte da carne que é vendida hoje em dia, o que a torna especial, mas, em contrapartida, requer alguns cuidados especiais para obter os resultados a que está habituada/o.
Em primeiro lugar, como a carne está embalada em vácuo, deve repousar um pouco de tempo depois de aberta – este é um bom momento para temperar com sal ou ervas aromáticas.
O que torna a nossa carne especial é que, em vez de serem alimentados com cereais e mantidos no estábulo ou em parques, os nossos vitelos passam quase um ano inteiro a pastar nos campos e nos montes, a correr e a trepar e apreciando a vegetação rústica, as bolotas e os arbustos.
Isto significa que a carne tem menos gordura e mais sabor, um pouco como a carne de caça, mas também que é mais rija e seca (também como a carne de caça) e portanto não deve ser tratada da mesma forma que a carne proveniente de animais tratados de uma forma mais convencional (ainda que também provenientes do modo de produção biológico).
O truque para obter bons resultados é “low and slow” temperaturas baixas e tempos de “cozedura” mais longos.
Os bifes podem ser preparados dourando-os previamente e depois adicionar um pouco de água ou de caldo e deixar cozinhar em lume brando durante 15 a 20 minutos.
As receitas preparadas no forno com um molho – como as receitas de cabrito – estão bem adaptadas para a carne destes animais de pastoreio livre. No caso de assados, a temperatura pode ser mais reduzida e o tempo do assado pode ser prolongado pelo menos mais 15 minutos para se obter um resultado mais tenro.
Um guisado é uma excelente opção e não precisa de ser alterado.
Tal como na carne de caça, como se trata de uma carne mais seca, deve utilizar-se um pouco mais de gordura (um bom azeite biológico).
Claro que também pode preparar esta carne da mesma forma que prepara outra carne. A textura distinta (como no caso das galinhas caseiras) é um sinal da qualidade que torna a carne biológica tão especial.